Ministério Público analisa oferta de viagens pela Huawei a políticos

"O Ministério Público encontra-se a recolher elementos com vista à análise sobre eventual providência a tomar", confirmou a PGR ao jornal Observador.

A Procuradoria Geral da República está recolher elementos sobre o convite feito pela Huawei a um deputado e dois deputados social-democratas para irem à China. Da investigação em curso, a PGR vai decidir se abre ou não um inquérito, segundo noticia o Observador.

“O Ministério Público encontra-se a recolher elementos com vista à análise sobre eventual providência a tomar”, confirmou a PGR ao jornal. Em causa estão viagens oferecidas pela empresa chinesa Huawei a vários políticos, mas também ajustes diretos de mais de um milhão de euros autorizados por três juntas de freguesia lideradas pelo PSD.

Sérgio Azevedo, atual deputado e vice-presidente da bancada do PSD, Ângelo Pereira, vereador na Câmara de Oeiras e Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela admitem ao Observador, na semana passada, que não só fizeram a viagem a convite da Huawei como foi a empresa chinesa a pagar.

Em fevereiro de 2015, os três políticos do PSD foram à China com voos e estadia oferecidos pela empresa de telecomunicações Huawei, numa altura em que procuravam um parceiro tecnológico para um projeto tecnológico da Junta de Freguesia da Estrela.

A investigação da PGR poderá seguir o mesmo curso daquela que ficou conhecida como ‘Galpgate’. Neste caso, que conta já com três arguidos, está em causa um convite feito pela Galp a vários membros do Governo para assistir a jogos da seleção nacional, no Campeonato Europeu de Futebol de 2016, em França.





Mais notícias