Millionaire”s Run: O jogo para ‘smartphone’ que pode torná-lo milionário

Dois australiano-se juntaram-se para criar uma aplicação onde os jogares podem ganhar prémios semanais de mil dólares, e, no final do ano, será anunciado o vencedor do prémio máximo: um milhão de dólares.

Uma dupla de empreendedores australianos uniram-se para criar uma aplicação para smartphones em que os jogadores podem receber dinheiro verdadeiro.

Durante os próximos seis meses, o Millionaire’s Run vai ter jogadores a competir por um prémio semanal de mil dólares (cerca de 870 euros), e, a última fase – que vai coincidir com a noite de fim de ano – será um prémio no valor de um milhão de dólares, cerca de 680 mil euros, para o jogador que apresentar a pontuação mais elevada.

O conceito foi criado por Grant Moyle e Todd Wild, e surgiu durante uma viagem de negócios na Índia há cinco anos.

“Acreditamos que podemos criar uma nova plataforma para a forma como os jogos do futuro são promovidos”, disse o cofundador Todd Wild, em entrevista ao Diário de Notícias. “Não apenas em termos de prémios em dinheiro, mas de ofertas e incentivos para que as pessoas joguem, além do valor de entretenimento. Dar incentivos para que todos queiram atingir a pontuação mais elevada.”

O responsável reconhece que é difícil para qualquer jogo móvel conseguir destaque entre os milhares de milhões de apps disponíveis nas lojas, mas tem um trunfo. “Ninguém ofereceu um prémio destes até agora. É uma forma de nos destacarmos à partida, levantar a mão e conseguir a atenção de toda a gente”, explica.

O jogo é bastante simples. A personagem tem de correr e desviar-se de obstáculos, recolhendo o máximo de moedas pelo caminho.

No desenvolvimento deste jogos, os criadores depararam-se com um problema: os hackers. Para evitar que pessoas com conhecimentos avançados em tecnologia pudessem enganar o jogo, “a maioria do orçamento acabou por ir para a segurança do sistema”, sublinhou Grant Moyle, durante a apresentação em Hollywood, citado pelo DN.

A dupla contratou especialistas para tentar entrar no sistema e alterar a pontuação, e acabaram por escolher uma empre de segurança que usou a tecnologia Blockchain, a mesma que está por trás da moeda digital bitcoin, para blindar o registo das pontuações, fazendo deste jogo o primeiro a utilizar esta tecnologia.

Nos próximos meses vão ser lançadas várias campanhas promocionais ao jogo, e, segundo Grant e Todd “Espanha já é um dos nossos melhores mercados e nem sabemos como é que eles ouviram falar do jogo”.

PUB
PUB
PUB