Mil toneladas de alimentos para famílias carenciadas (todos cultivados por presos)

Reclusos de cinco estabelecimentos prisionais que trabalham em hortas para ajudar famílias carenciadas foram responsáveis pela produção de mil toneladas de alimentos desde 2009. Intenção passa por estender o projeto a mais prisões.

“Hortas Solidárias” é o nome do projeto que decorre desde 2009 em cinco estabelecimentos prisionais e que deverá ter continuação de acordo com a assinatura de um protocolo entre a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais e a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, no âmbito do projeto “Hortas Solidárias”.

“Houve uma aproximação por parte do banco alimentar e abraçámos a ideia há uns anos. É um caminho sustentado que se vai espalhando pelos estabelecimentos prisionais e já produzimos mais de mil toneladas de alimentos para os bancos alimentares, nestes anos”, disse o diretor-geral dos Serviços Prisionais, Celso Manata, em declarações à agência Lusa.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB