Metade dos jovens fica sem apoio à renda Porta 65

Em 2016 já tinham ficado de fora oito mil candidatos, num universo de cerca de 15 mil.

 

A grande maioria (53%) dos jovens que podem receber apoio à renda através do Porta 65 viu-se de fora do programa devido à falta de verbas, escreve o “Jornal de Notícias” desta quinta-feira. Apenas sete mil candidatos vão ser abrangidos pelo plano, para o qual existem 12,5 milhões de euros disponíveis.

Em 2016 já tinham ficado de fora oito mil candidatos, num universo de cerca de 15 mil, sendo que este ano se mantém o mesmo valor de financiamento. Há dois anos, havia mais um milhão de euros, comparativamente aos números mais atuais. Esta quinta-feira, o Parlamento discute a alteração do regime do programa de arrendamento jovem Porta 65, através de projetos de lei do PSD, CDS-PP, BE e PCP que visam aumentar de 30 para 35 anos a idade máxima dos beneficiários.

Os quatro projetos de lei apresentados preveem que, “caso o jovem complete 35 anos durante o prazo em que beneficia do apoio, pode ainda candidatar-se até ao limite de duas candidaturas subsequentes, consecutivas e ininterruptas”, estipulando que o mesmo procedimento é aplicável aos casos em que um dos elementos do casal completa 37 anos durante o prazo em que beneficia do apoio.

Na proposta de Grandes Opções do Plano para 2017, o Governo assumiu como objetivo o reforço do programa de apoio ao arrendamento jovem Porta 65. Lançado em 2007, o programa de apoio ao arrendamento jovem Porta 65 consiste na atribuição de uma percentagem do valor da renda como subvenção mensal, que pode ser renovada até perfazer três anos, tendo como beneficiários jovens entre os 18 e os 30 anos. As

Mais notícias