Mercados norte-americanos em queda com incerteza sobre reforma fiscal

Investidores mostram-se mais céticos face à implementação do plano de fomento à economia e reforma fiscal proposto pelo presidente norte-americano, numa altura em que os eventos geopolíticos dominam as agendas.

Reuters

As principais praças norte-americanas abriram a sessão desta terça-feira a negociar em terreno negativo, com os investidores a recuarem após as declarações do secretário do Tesouro indicarem que a reforma fiscal anunciada por Donald Trump poderá não ser tão rápida quanto o esperado.

O industrial Dow Jones recua 0,45% para 20.544,97, o S&P 500 perde 0,36% para 2.340,5 pontos e o tecnológico Nasdaq cai 0,32% para 5.838,00 pontos.

Os investidores mostram-se mais céticos face à implementação do plano de fomento à economia e reforma fiscal proposto pelo presidente norte-americano, numa altura em que os eventos geopolíticos dominam as agendas.

Os principais índices europeus estão em queda, após o anúncio da primeira-ministra britânica, Theresa May, da realização de eleições gerais no Reino Unido a 8 de junho. Numa comunicação oficial ao país, a governante justificou a decisão dizendo que chegou a primeira-ministra numa altura em que o país atravessava uma fase de instabilidade, mas que já não é o caso. A chefe do executivo britânico pediu um mandato claro para conduzir as negociações com a União Europeia sobre o Brexit, dando a entender que apenas a eleição de um governo “forte” permitirá evitar o temido cenário de um “hard brexit”, isto é, uma saída da União sem um acordo que assegure os interesses comerciais do Reino Unido.

No mercado petrolífero, o crude WTI cai 0,27% para os 55,21 dólares por barril, enquanto o Brent desvaloriza 0,17% para 52,55 dólares por barril. São hoje divulgados os dados preliminares sobre as reservas nos EUA, que serão confirmados amanhã. Devido à incerteza geopolítica, o valor da matéria-prima tem estado a subir nas últimas duas semanas.

Mais notícias