Medina: “nada está garantido, nada está ganho”

Em entrevista ao DN e à TSF, o candidato às autárquicas pelo Partido Socialista disse estar mais preocupado com um projeto de futuro para a capital que com conseguir uma maioria absoluta.

Cristina Bernardo

Atual presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina vai encabeçar uma lista a eleições pela primeira vez, depois de ter herdado o cargo quando António Costa se tornou primeiro-ministro. Em entrevista ao DN e à TSF, o candidato às autárquicas pelo Partido Socialista disse estar mais preocupado com um projeto de futuro para a capital que com conseguir uma maioria absoluta.

“Todas as eleições se disputam sem votos nas urnas. Aquilo que nós fizemos até hoje e a situação da cidade, que eu acho que está francamente melhor do que estava há quatro anos atrás, ou do que estava há dez anos atrás, antes de se dar início a este ciclo político, só serve para mostrarmos aos cidadãos que podem de novo confiar no nosso projeto”, afirmou Fernando Medina.

“Agora, há aqui um desafio de mobilização e inspiração da cidade de novo. Nada está garantido, nada está ganho e nesta eleição, nada está ganho. Aliás, temos tido provas em muitas eleições de que quem confia no voto dos outros acaba sempre por ter resultados nas eleições diferentes daqueles de que estavam à espera à partida”.

Questionado sobre se se vai bater por uma maioria absoluta, Medina respondeu que se vai bater “por apresentar o projeto de futuro para a cidade de Lisboa com o máximo de convicção, com os melhores argumentos, com energia, com alegria, mobilizando a cidade para esse projeto e os resultados depois veremos”, em entrevista ao DN e à TSF.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB