Mariano Rajoy apresenta medidas de aplicação do artigo 155

O chefe do Governo de Espanha está em plenário para apresentar as medidas de aplicação do artigo 155 da Constituição espanhola e pediu ao Senado autorização para destituir o presidente da Generalitat. No seu discurso, criticou a região autónoma da Catalunha por ter tentado “ignorar as leis, revogá-las e quebrá-las”.

O chefe do Governo de Espanha está em plenário para apresentar as medidas de aplicação do artigo 155 da Constituição espanhola e pediu ao Senado autorização para destituir o presidente da Generalitat.

“É a primeira vez desde 1978 que o artigo 155 é adotado porque a situação é excepcional”, explicou Mariano Rajoy. O líder espanhol disse que vai aproveitar esta “mudança para influenciar alguns aspetos” e espera que a sua “intervenção ajude a decidir com melhor conhecimento de causa”, acrescentando que pede o apoio aos deputados para avançar com uma proposta concreta.

No discurso no Senado, o número um do executivo espanhol criticou a região autónoma da Catalunha por ter tentado “ignorar as leis, revogá-las e quebrá-las”. “Além disso, o Tribunal Constitucional foi ignorado. Mas tudo tem estado igual (…). Houve um referendo ilegal sem garantias e, em seguida, afirma-se que as pessoas da Catalunha expressaram livremente”, enfatizou.

Madrid caracterizou o comportamento de Barcelona como repleto de uma série de “decisões antidemocráticas” e “contrárias à lei”, aos valores europeus, bem como ao “comportamento normal em qualquer país democrático”. O presidente do governo espanhol frisou ainda que as decisões catalãs arrasam minorias.

“Ao presidente da Generalitat [Carles Puigdemond] foi dito para esclarecer se declarava ou não a independência. Era necessário um esclarecimento sobre da sua parte. Não era difícil responder: se houve ou não”, referiu, solicitando aos presentes em plenário o voto para trazer de volta “a legalidade”. “Um país onde os governantes causam rebelião contra a lei é um país injusto, sujeito à lei do mais forte”, justificou.

Mariano Rajoy fez questão de explicar ao Senado que o artigo 155 “não é contra a Catalunha”, mas serve apenas para “evitar o abuso” desta região espanhola. “A história não vai julgar apenas os excessos e as ilegalidades que estamos a testemunhar na Catalunha, mas também aqueles que estão a decidir. Eu acredito que, além de pequenas mesquinhices, demos resposta à altura do que todos os espanhóis esperam”, concluiu o governante, o que mereceu uma ovação por parte da bancada do Partido Popular (PP).

As linhas mestras da aplicação do artigo 155 foram também apresentadas na conta do Twitter do PP: devolver a legalidade, recuperar a convivência, recuperação económica e convocar eleições.

 

Notícia atualizada às 9h49



Mais notícias