Manuel Valls diz que PS francês “está morto” e vai concorrer às legislativas pelo partido de Macron

O socialista já tinha expressado o seu apoio ao candidato centrista na primeira volta das presidenciais. Agora, reconhecendo que "governar a França é difícil", a prioridade "é dar uma maioria clara e coerente a Macron para que ele possa governar".

O antigo primeiro-ministro francês, Manuel Valls, anunciou esta terça-feira que será candidato às eleições legislativas de junho pelo partido “En Marche!” de Emmanuel Macron, eleito, no passado domingo, presidente de França. Manuel Valls sustenta que o Partido Socialista está morto e que macron precisa de “uma maioria grande e coerente” para assegurar a governabilidade do país.

“Serei candidato da maioria presidencial às legislativas”, anunciou Manuel Valls, em entrevista à rádio francesa RTL. “O Partido Socialista está morto. Ficou para trás, não representa a sua história e os seus valores”, disse, acrescentando que tal está “à vista de todos”.

Manuel Valls explica que não se trata de uma mudança radical nas ideias que defende: “Sou um republicano. Sou um homem de esquerda, continuo a ser socialista. Não reneguei 30 anos de compromisso da minha vida política”.

O socialista já tinha expressado o seu apoio ao candidato centrista na primeira volta das presidenciais e agora, reconhecendo que “governar a França é difícil”, a prioridade do ex-primeiro-ministro “é dar uma maioria clara e coerente a Emmanuel Macron para que ele possa governar”.

Quanto ao Partido Socialista francês, Manuel Valls indica que este “vai fazer um balanço, olhar para a sua história e decidir o caminho para o futuro”. “Tem de superar-se e isso não vai acontecer de repente”, sublinha.



Mais notícias