‘Mais Porto Santo’ reivindica reforço de verbas para o rali

"A manter-se este tipo de apoios corremos o sério risco de sermos afastados do campeonato". Vereador do movimento, António Castro, realça a importância da prova para o setor empresarial e económico da ilha.

“Os cerca de quatro mil euros que foram investidos pela Câmara são manifestamente curtos. A manter-se este tipo de apoios corremos o sério risco de sermos afastados do campeonato”, alerta José António Castro, vereador do movimento ‘Mais Porto Santo’ a propósito da prova ‘Rali Porto Santo Line’ que decorreu, este fim-de-semana, na ‘Ilha Dourada’.

José António Costa lembra a importância da prova para a economia e o tecido empresarial do Porto Santo e alega que o sucesso do evento justifica um maior investimento por parte da autarquia.

“Já foi anunciado que para o ano, em 2019, o regional de ralis será reduzido de oito para sete provas e não nos podemos dar ao luxo de perdemos esta oportunidade, de ficarmos sem um evento que tem uma grande importância para os porto-santenses e para a nossa economia, que ajuda a esbater a sazonalidade”, afirma o porta-voz do ‘Mais Porto Santo’, acrescentando o rali “é extremamente importante para Porto Santo. Derrama muito dinheiro na economia, ajuda os nossos comerciantes e empresários e é uma festa para os porto-santenses”.

José António Castro defende que a Câmara Municipal do Porto Santo tem de salvaguardar a agenda desportiva de acordo com os interesses dos porto-santenses e não o contrário. “Não aceitamos nem compreendemos a realização de duas importantes manifestações desportivas no mesmo fim-de-semana, como aconteceu no passado, com o rali e a meia maratona. A Câmara tem de se impor na calendarização dos eventos e revelar uma posição mais ativa para que os mesmos se espalhem pelo tempo e ajudem, naturalmente, a esbater a sazonalidade, valorizando o tecido empresarial”, critica.




Mais notícias