Mais de um quarto da população portuguesa em risco de pobreza ou exclusão social

Embora o número de portugueses afetados pela pobreza e exclusão social tenha diminuído, foram contabilizados 2.595 milhares de residentes a viver abaixo do limiar da pobreza, em 2016.

Romeo Ranoco/REUTERS

O Inquérito às Condições de Vida e Rendimento divulgado esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que 25,1% da população portuguesa encontrava-se em risco de pobreza ou exclusão social. Contas feitas, em 2016, foram 2.595 milhares de residentes em Portugal a viver abaixo do limiar da pobreza. Ainda assim, a percentagem representa menos 1,5 pontos percentuais do que no ano anterior.

Os dados do INE mostram que 18,8% dos 2.595 milhares de pessoas com dificuldades económicas (cerca de 487 mil) eram menores de 18 anos e 18,0% (cerca de 468 mil) eram pessoas com 65 ou mais anos.

Embora o rendimento médio mensal por agregado familiar tenha aumentado 79 euros em 2015, Portugal manteve a distância da União Europeia. Em média, o rendimento monetário disponível médio por agregado familiar foi de 17.967 euros anuais em 2015, ou seja, 1.497 euros por mês.

As condições habitacionais continuam a ser a principal dificuldade das famílias em condições económicas precárias. A maior parte da população em risco de pobreza e com crianças a encargo não tem instalações sanitárias, condições físicas e de luminosidade ou o número de divisões habitáveis.

Mais notícias
PUB
PUB
PUB