Mais de metade da conta da luz em Portugal é para impostos

Só Dinamarca (69%) e Alemanha (55%) tem uma carga fiscal maior sobre o preço da electricidade. A média dos 28 Estados-membros é de 40%, um valor muito abaixo do registado em Portugal (52%).

Em Portugal, a percentagem de impostos e outras tarifas sobre a electricidade representaram 52% do preço médio da luz, no segundo semestre de 2017, o que corresponde à terceira percentagem mais elevada em toda a União Europeia, de acordo com dados do Eurostat revelados esta quarta-feira.

Só Dinamarca (69%) e Alemanha (55%) vêem a carga fiscal sobre o preço da electricidade pesar mais. A média dos 28 Estados-membros é de 40%, um valor muito abaixo do registado em Portugal.

O gabinete de estatística da União Europeia divulgou hoje os dados sobre os preços da energia (gás e electricidade) entre os 28 Estados-membros, para 2017, onde se observou que os preços da energia mantiveram-se estáveis, registando-se uma redução de apenas 0,2% na luz e 0,5% no gás, face a 2016.

Quanto a Portugal, os consumidores pagaram 22,3 euros, em média, por cada 100 quilowhats (kWh) de eletricidade, o que corresponde a uma descida de 3% face a 2016. Na Europa dos 28, só Alemanha (30,5 euros), Dinamarca (30,1 euros), Bélgica (28,8 euros) e Irlanda (23,6 euros) pagaram mais, quando a média da UE foi de 20,5 euros.

Sobre o gás, os preços praticados em Portugal também ficaram acima da média da UE. Entre Junho e dezembro de 2017, o consumidor pagou 8 euros por cada 100 kWh, em média, representando um decréscimo de 2% face a 2016. Ainda assim, os portugueses ficam entre o top6 dos que mais pagaram pelo gás – Holanda (8,2 euros), Itália e Espanha (8,7), Dinamarca (8,8) e Suécia (11,3).

Mais, 27% do valor cobrado na fatura do gás é para impostos. Dinamarca (56%), Holanda (51%), Suécia (43%) e Roménia (43%), são os países onde o peso da carga fiscal sobre o gás é maior.

 






Mais notícias
PUB
PUB
PUB