Madeira reeleita para vice-presidência da Comissão das Ilhas

A secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais voltou a reforçar a posição do Governo Regional que se tem mostrado contra os cortes propostos pela União Europeia nos fundos de coesão durante a Assembleia Geral da Comissão das Ilhas.

A Madeira foi reeleita para a vice-presidência da Comissão das Ilhas. Na assembleia geral da Comissão das Ilhas da Conferência das Regiões Ultraperiféricas e Marítima, que se realiza em França, a secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, criticou a proposta da União Europeia que prevê cortes no fundo de coesão.

 

“Foi com grande apreensão que verificamos que do ponto de vista orçamental a dotação da Política de Coesão foi drasticamente penalizada, funcionando como variável de ajustamento, questão que mereceu desde o primeiro momento o nosso total repúdio”, afirmou Susana Prada durante a Assembleia Geral da Conferência das Regiões Ultraperiféricas.

A governante diz que “não é aceitável” que se proceda a cortes no fundo de coesão que visa apoiar os estados membros mais pobres reforçando a posição do Governo Regional que alerta “para a necessidade de se manter o apoio actual” nesta rubrica.

A manutenção das taxas de co-financiamento tradicional para as RUP na Política de Coesão nos 85% foi também outras das medidas defendidas por Susana Prada.

A Assembleia Geral reelegeu ainda a Madeira para a vice-presidência da Comissão das Ilhas que será representda pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, que integra a direcção política deste organismo. O presidente Gilles Simeoni foi também reconduzido no cargo de presidente.

A Comissão das Ilhas aprovou ainda uma posição política que alerta para ” o facto de os novos regulamentos da coesão não levarem suficientemente em conta as especificidades e constrangimentos destes territórios”. Este organismo reivindica ainda “um tratamento semelhante ao proposto para as nove Regiões Ultraperiféricas”.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB