Macron acusa Alemanha de beneficiar de uma zona euro “disfuncional”

O presidente francês, que recebe esta quinta-feira a chanceler alemã, Angela Merkel, diz que "parte da competitividade alemã é devido às disfunções da zona do euro e à fraqueza de outras economias".

O presidente francês, Emmanuel Macron, defende que a União Europeia é um projeto incompleto e que são necessárias mudanças para garantir uma maior convergência entre os Estados-membros da Zona Euro. Sem repreender a Alemanha, Emmanuel Macron considera que esta sai beneficiada com essa “disfunção” e sugere um ministro das Finanças único para representar todo o bloco europeu.

Em entrevista ao jornal regional ‘Ouest France’, Emmanuel Macron, que recebe esta quinta-feira a chanceler alemã, Angela Merkel, diz que “parte da competitividade alemã é devido às disfunções da zona do euro e à fraqueza de outras economias”. “Nunca repreendi a Alemanha por ser um país competitivo”, afirma, sublinhando que o país tem “responsabilidades compartilhadas na área da economia europeia”.

Emmanuel Macron considera que a Alemanha, que tem um excedente orçamental, pode dar um reavivameno no investimento público e privado na Europa e quer reafirmar os laços entre os dois países. O presidente sugere ainda a introdução do cargo de um ministro das Finanças responsável por toda a União Europeia, que considera ser uma vantagem para todos os Estados-membros, mas reitera que não tem intenção de tornar as dívidas nacionais em dívidas comunitárias.

Esta quinta-feira, Emmanuel Macron recebe ainda o presidente norte-americano, Donald Trump. O centrista confirma a vontade de “encontrar um espaço comum” para um acordo de livre comércio e para a luta contra as práticas de concorrrência desleal. A separá-los está a posição tomada pelo presidente dos Estados Unidos de cortar com o Acordo de Paris para o combate às alterações climáticas.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB