Londres: Ataque com carrinha junto a mesquita faz um morto e dez feridos

O incidente ocorreu pouco depois da meia-noite, quando uma carrinha entrou numa zona pedonal abalroando os peões que se encontravam na Seven Sisters Road. O caso está a ser tratado como um potencial ataque terrorista.

Reuters

Uma pessoa morreu e dez ficaram feridas na sequência de um atropelamento com uma carrinha durante a madrugada desta segunda-feira junto a uma mesquita em Finsbury Park, no norte de Londres, no Reino Unido. As autoridades britânicas detiveram o suspeito, um homem de 48 anos, que terá sido impedido de abandonar o local do crime pelas pessoas que se encontravam na rua.

O incidente ocorreu pouco depois da meia-noite, quando uma carrinha entrou numa zona pedonal abalroando os peões que se encontravam na Seven Sisters Road. A Polícia Metropolitana de Londres confirmou que o incidente está a ser tratado como um potencial ataque terrorista e garante que o caso está a ser investigado pelo departamento de contraterrorismo. Até ao momento desconhece-se se terá sido um ato deliberado ou um acidente.

As autoridades britânicas dão conta de que oito feridos terão sido transportados para três hospitais de Londres e outras duas pessoas, com ferimentos ligeiros, receberam assistência no local. Uma pessoa foi declarada morta no local.

O mayor de Londres, Sadiq Khan, escreve na rede social Facebook, que este incidente se tratou de “um ataque terrorista horrível”. “Ainda não conhecemos todos os detalhes, mas foi claramente um ataque deliberado contra londrinos inocentes, muitos deles estavam a acabar as suas preces, durante o mês sagrado do Ramadão”.

Também o Conselho Muçulmano do Reino Unido já reagiu ao incidente, qualificando-o como um ato de islamofobia, alegando que a carrinha atropelou crentes quando estes saíam da mesquita de Finsbury Park, onde se encontravam na oração da noite no mês do Ramadão. A mesquita é conhecida por juntar vários muçulmanos, que vivem na zona circundante.

Este foi o quarto ataque terrorista a atingir o país em pouco mais de três meses, o terceiro a incluir atropelamentos. A 22 de março, várias pessoas foram atropeladas na ponte de Westminster, junto ao Parlamento britânico. Mais recentemente, a 3 de junho, três homens atropelaram vários peões com uma carrinha na Ponte de Londres. Estes dois ataques foram reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico.

O Reino Unido é o segundo país do Ocidente com mais combatentes nas fileiras do grupo terrorista. Desde 2014, partiram para a Síria mais de 800 britânicos.



Mais notícias