Lisboa arrecada mais de 35 milhões em duas semanas com venda de edifícios e terrenos

Cerca de 14 milhões de euros foi o valor que a Câmara de Lisboa arrecadou hoje com a venda de três terrenos da hasta pública.

Cristina Bernardo

António Furtado, diretor municipal de Gestão Patrimonial, informou a Lusa de que três dos seis terrenos, da quarta hasta pública, realizada esta quinta-feira, no edifício da autarquia do Campo Grande, foram vendidos. Ao todo, foram apresentadas quatros propostas para os três terrenos situados nas Avenidas Novas e na Avenida de Berlim.

O terreno das Avenidas Novas foi vendido, inicialmente, por 6.1 milhões de euros. Já os dois terrenos na Avenida de Berlim foram vendidos pelo valor base de 4.58 milhões de euros e 3.37 milhões de euros, totalizando 14.05 milhões de euros. “Todos os terrenos foram arrematados por sociedades comerciais portuguesas”, avança António Furtado à Lusa.

Por sua vez, continuam à venda os terrenos na Horta e Silva, na Ajuda, Dom Jerónimo Osório e Gregório Lopes, em Belém, pelo preço base de 880 mil euros, 660 mil euros e 3.62 milhões de euros, respetivamente.

A Câmara de Lisboa que, quinta-feira da semana passada, vendeu uma parcela de terreno na Praça de Espanha por 17 milhões de euros, a uma sociedade comercial portuguesa, arrecadou 891 mil euros, com a venda de nove frações autónomas habitacionais em prédios, em Arroios, São Vicente, Misericórdia, Campo de Ourique, Estrela e Santa Maria Maior (mais 33% do que o calculado), esta terça-feira.

Ainda referente a esta terça-feira, a autarquia recebeu mais 3.49 milhões de euros ao vender, em hasta pública, dois lotes de terreno e um prédio nas freguesias de Campolide e Arroios a sociedades comerciais. No total, António Furtado indica, à Lusa, que “o município vendeu um prédio, nove frações autónomas e seis lotes de terreno, realizando um total de 35,431 milhões de euros”.

Mais notícias
PUB
PUB
PUB