Konica Minolta: das impressoras aos ‘All-In-One’ de Infraestrutura de IT nas empresas

Com uma aposta clara nos Managed Content Services, a Konica Minolta continua a crescer nas pequenas e médias empresas em Portugal. Leia aqui a entrevista a Pedro Monteiro, Business Development Manager.

Como caracteriza o mercado da gestão documental e impressão actualmente?

O mercado de impressão apresenta evolução positiva na adopção do conceito Managed Print Services (MPS), apresentando índices de maturidade de MPS alinhados com os Estados Unidos e os países mais desenvolvidos da Europa comunitária.

Este movimento alavancou uma maior satisfação global das organizações face aos serviços de Impressão, ambientes mais seguros dos documentos físicos, custos controlados e reforço da relação com os fornecedores selecionados.

Quanto ao tema da Gestão Documental, a maturidade é muito inferior. As organizações portuguesas ainda estão em momento de evolução na organização da sua informação e gestão dos processos de negócio – com maior foco no segmento de empresas de dimensão média, e que estejam em  processo de reestruturação da sua relação com os seus clientes/oferta.

O factor “crise” terá adiado parte do investimento das empresas nestes sistemas. O que está a acontecer neste momento? O investimento aumentou? Quais é o perfil das empresas que mais está a investir? Quais deveriam estar a investir mais?

Não existem dúvidas que a crise criou maior receio face a investimentos em tecnologia; porém a principal conclusão da “crise” foi o aumento do escrutínio e densificação dos processos de decisão de investimento.

No que toca aos dias de hoje, os investimentos estão focados em melhoria de processos de negócio que permitam largas poupanças de custos, ou aumentos de eficiência que alavanquem Vendas e Relação com o Cliente.

O ciclo de decisão, além de mais denso, envolve cada vez mais interlocutores e por essa via observamos tempos de decisão mais longos.

O RGPD é uma oportunidade para o sector? Porquê?

O RGPD é uma terapia de choque para algumas organizações. Se estas políticas de proteção de dados já estão largamente implementadas na maioria das empresas cotadas em Bolsa, o mesmo não se aplica às restantes, e especificamente nas empresas nacionais.

Posto isto, o RGPD tem de ser visto como uma ferramenta de gestão para garantir a proteção de dados pessoais e vitais da empresa; isto numa era em que a fuga de informação tem cariz maligno e de destruição de valor.

Neste sentido é uma oportunidade para o sector, com uma característica de obrigatoriedade que impõe decisões rápidas.

Estamos posicionados no campo da proteção de dados na arena dos MPS (documentos físicos), como na arena do MCS (documentos e conteúdos digitais).

Os escritórios estão a mudar, e algumas empresas apontam para a impressora como um possível novo “ponto de encontro” dos colaboradores no escritório. Qual é a vossa estratégia nesta matéria?

É um tema muito quente, não só no que compete ao ambiente de escritório, mas devemos alargar a análise ao workplace e workspace.

A visão da Konica Minolta é de que a impressora “do hoje” não é suficiente para que se torne o tal “ponto de encontro”.

As necessidades das empresas, e sobretudo os hábitos das pessoas estão a mudar a ritmo acelerado; a Konica Minolta, antecipando esse movimento, eleva a fasquia lançando uma oferta concebida para ser o All-In-One de Infraestrutura de IT para as empresas, que oferece as funcionalidade de impressão, mas igualmente funcionalidades de Segurança, Servidor, Backup, Storage, Serviços Cloud, Serviços IoT, Sensores de Ambiente, entre outros – o Workplace Hub.

Quais são as principais linhas estratégicas do V. negócio em Portugal?

O plano estratégico da Konica Minolta reforça a aposta nos Managed Print Services e Managed Content Services, como oferta chave para o segmento das médias e grandes empresas.

Em simultâneo, a área de Infrastructure Managed Services é a mais recente aposta da Konica Minolta Portugal, oferecendo às organizações Serviços de IT end-to-end, no que toca a infraestrutura e workplace do futuro.

Pedro Monteiro, Business Development Manager – Konica Minolta



Mais notícias
PUB
PUB
PUB