Jovens não acompanham tendência de queda do desemprego

Dados do INE mostram que apesar da diminuição na taxa, o desemprego jovem aumentou em maio. Enquanto a taxa de desemprego dos jovens foi 24,6%, a dos adultos foi de 8,3%.

A taxa de desemprego nacional voltou a cair em abril e maio, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). No entanto, os jovens não seguem a tendência e registou-se mesmo um aumento do número de desempregados entre os 15 e os 24 anos no mês passado.

O desemprego de jovens terá ficado em 24,6% em maio, um valor bastante acima dos 9,4% da média nacional. Apesar de a taxa ser mais baixa que no mesmo mês do ano passado, quando estava em 28%, é a mais elevada desde janeiro.

“A taxa de desemprego dos jovens situou-se em 24,6% e aumentou 0,8% em relação ao mês precedente”, explica o INE em comunicado. Em comparação, “a taxa de desemprego dos adultos foi de 8,3% e diminuiu 0,1% em relação àquele mês”.

Nos primeiros quatro meses do ano, o desemprego de jovens esteve a descer, mas em abril voltou a aumentar. Em maio, a população jovem desempregada aumentou 1,4% ou 1,3 mil pessoas, face ao mês anterior. Quando à população empregada entre os 15 e os 24 anos, assistiu-se a um decréscimo mensal de 2,8% ou 7,8 mil pessoas. A taxa de emprego dos jovens foi de 25,%, menos 0,7% que em abril.

O desemprego jovem em Portugal tem sido uma preocupação do Governo e de Bruxelas. Na avaliação ao Programa de Estabilidade e ao Plano Nacional de Reformas, a Comissão Europeia avisou, em maio que problem em Portugal aumenta o risco de os jovens desempregados se desvincularem do mercado de trabalho.

Este distanciamento pode causar perdas graduais de qualificações e empregabilidade, o que pesa negativamente no crescimento potencial da economia, segundo a comissão. Bruxelas elogiou, no entanto, o programa Garantia Jovem, criado para reduzir o número de jovens que nem trabalham, nem estudam, os chamados NEET.

Fonte: Instituto Nacional de Estatística





Mais notícias