Irma enfraquece mas continua a causar estragos

Trump já se pronunciou e prometeu fornecer recursos para reconstruir os estragos do Irma. Ontem à tarde, a Casa Branca anunciou que o presidente aprovou a disponibilização de fundos federais para ajudar.

O furacão Irma perdeu intensidade e desceu para categoria 1 com ventos de 85 km/h. Mesmo depois de enfraquecer, o furacão continua a causar estragos na Flórida hoje, com ventos fortes e inundações.

O Centro Nacional de Furacões anunciou que a tempestade estava a enfraquecer hoje, depois de deixar mais de 4,7 milhões de habitantes sem electricidade. Há três mortes relacionadas com a tempestade no Estado da Florida, alerta o Financial Times.

“Este é o pior caso” na costa oeste e Florida, disse Brock Long, administrador da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, na Fox News.

Rick Scott, governador da Flórida, avisa que está “muito preocupado com a costa oeste. A tempestade é absolutamente ameaçadora. Isso vai ser devastador para essas áreas”.

Florida Power & Light, a maior companhia do Estado, disse que as reparações do seu sistema de energia demoraria semanas, ameaçando deixar milhões ‘no escuro’. Elaine Duke, secretária do Department of Homeland Security, disse na MSNBC que esperava que 5 milhões de pessoas acabassem por ficar sem sistema eléctrico na Flórida.

Mais de 6 milhões de pessoas deixaram as suas casas no Estado da Florida naquala que é a maior evacuação em massa na história dos EUA.

Trump já se pronunciou e prometeu fornecer recursos para reconstruir os estragos do Irma, disse o governador da Florida. Ontem à tarde, a Casa Branca anunciou que o presidente aprovou a disponibilização de fundos federais para ajudar com as consequências.

Segundo a RMS, uma empresa de análise, o Irma tem três vezes o tamanho do furacão Harvey, que atingiu o Texas no mês passado e provocou um prejuízo de mais de 149 mil milhões de euros.

Trump disse que a resposta oficial ao Irma estava a correr muito bem”, e elogiou a Guarda Costeira e Fema pelo seu trabalho. Quando questionado acerca dos custos do prejuízo do furacão, o presidente disse que “neste momento, estamos preocupados com as vidas”.

A ONU estima que, no total, cerca de 37 milhões de pessoas serão afetadas pela Irma nos EUA e no Caribe.





Mais notícias