IPO: “Forte procura dos investidores” leva Raize a antecipar rateio

Oferta começou esta segunda-feira e será de 15% do capital da Raize, a um preço fixo de dois euros por cada uma das 750.000 ações, o que avalia a empresa em 10 milhões de euros.

A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações da fintech portuguesa Raize assistiu a uma “forte procura dos investidores nos primeiros dias”, segundo a própria empresa. A operação começou na segunda-feira e irá durar até 12 de julho. Face aos sinais iniciais, a Raize espera que haja rateio de ordens.

“Com base na procura verificada nos primeiros dias, estimamos que a totalidade das ações da Raize fiquem subscritas durante as primeiras semanas da oferta”, explicou fonte oficial da fintech, em declarações enviadas ao Jornal Económico. “Esta estimativa reflete uma forte procura dos investidores de retalho e perspetiva a necessidade de rateio de ordens no final da operação”.

A oferta será de 15% do capital da Raize, a um preço fixo de dois euros por cada uma das 750.000 ações, o que avalia a empresa em 10 milhões de euros.

O montante mínimo de uma ordem de compra é de cem euros, ou seja, 50 ações, sendo que caso a procura seja superior ao montante da oferta, proceder-se-á ao rateio das ofertas forma proporcional. O apuramento dos resultados terá lugar a 13 de julho de 2018 e a liquidação das ações irá acontecer a 17 de julho.

No dia seguinte, a sociedade gestora da maior bolsa nacional de empréstimos a pequenas e médias empresas (PME) irá ser admitida à negociação no mercado Euronext Access. Após a entrada em bolsa, a Raize vai disponibilizar ações representativas de mais 10% do capital durante um período de seis meses.

CEO da Euronext vê “boa notícia” da chegada da Raize à bolsa sem “entusiasmo excessivo”

 






Mais notícias
PUB
PUB
PUB