Inflação cai para 0,9% em junho com pressão dos preços de alimentos e bebidas

Descida acentuada dos preços na classe de produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, bem como na classe de restaurantes e hotéis, levou a uma descida da taxa de variação homóloga do IPC nacional.

Hugo Correia/Reuters

O índice de preços no consumidor desacelerou para 0,9% em junho, face aos 1,5% registados em maio, de acordo com a estimativa publicada esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). A queda acentuada continua a tendência do mês anterior e reflete o recuo nos preços dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas.

“Por classes de despesa, são de destacar as diminuições das taxas de variação homóloga das classes dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e dos restaurantes e hotéis, com variações de 0,2% e 3,5%, respetivamente (2,1% e 4,9% no mês anterior)”, explica o comunicado do INE.

Por outro lado, o instituto sublinha os aumentos das taxas de variação homóloga das classes dos transportes e das comunicações, com variações de 1,5% e 3,6%, respetivamente. Os valores de junho comparam com 1,1% e 3,3%, registados em maio.

A variação mensal do IPC foi -0,4%, o que compara com -0,2% no mês anterior e 0,1% em junho de 2016. A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,1%, taxa superior em 0,1 p.p. à registada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente – índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos – registou uma variação homóloga de 1,1%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB