Infeções hospitalares caem 6,1% na Madeira

Este foi um dos resultados apurados por um estudo que inclui hospitais da Europa. A Madeira tem também uma taxa de prevalência de doentes com infeção hospital inferior à média nacional.

As infeções hospitalares tiveram um decréscimo de 6,1% na Madeira, em 2017, quando comparado com 2012. Este foi um dos resultados preliminares do ‘Inquérito de Prevalência de Infeções Associadas aos Cuidados de Saúde e Uso de Antimicrobianos nos Hospitais de Agudos na Europa’.

Os resultados indicam que a prevalência de doentes com infeção hospitalar foi de 8,3% o que situa os hospitais da Região, de acordo com o mesmo estudo, dentro das taxas europeias que variam entre os 5 a 10%.

Em termos de prevalência de doentes com infecção hospitalares a Madeira está com uma taxa inferior à média nacional que se cifra nos 8,9%.

Este estudo seguiu o protocolo europeu (Point prevalence survey of healthcare-associated infections and antimicrobial use in European acute care hospital), sob orientação da Direcção Geral de Saúde e do ECDC (European Center for Disease Prevention and Control).

Para o Serviço Regional de Saúde (SESARAM) os resultados deste estudo são “uma importante evolução na qualidade” e “na segurança dos cuidados de saúde na Região” e resultam do “grande empenho dos nossos profissionais de saúde”.

“A prevenção, o controlo e a redução das infecções hospitalares é um dos maiores desafios de qualquer hospital”, refere.

Estes resultados incluem o Hospital Dr. Nélio Mendonça e o dos Marmeleiros.




Mais notícias