INE confirma crescimento económico português de 2,7% em 2017

Dados divulgados esta quarta-feira confirmam a estimativa rápida, conhecida há duas semanas. Desde 2000 que o produto interno bruto (PIB) nacional não crescia a um ritmo tão rápido.

O crescimento económico português em 2017 foi confirmado nos 2,7%, de acordo com os dados finais publicados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O aumento do produto interno bruto (PIB) foi o mais elevado desde 2000, impulsionado pela procura interna, e ficou acima dos 1,4% registados em 2016.

“Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) registou um aumento de 2,7% em volume, uma taxa superior em 1,1 pontos percentuais (p.p.) à verificada no ano anterior, tendo atingido, em termos nominais, 193 mil milhões de euros”, explica o relatório do INE.

O contributo da procura interna para o PIB aumentou 2,9 pontos percentuais. Tal como se esperava, a subida deveu-se à aceleração do investimento, que registou uma taxa de variação de 8,4%, consideravelmente acima dos 0,8% registados em 2016.

Quanto às restantes componentes da procura interna – o consumo privado e o consumo público – o contributo não foi tão expressivo.

Por um lado, o consumo privado (despesas de consumo final das famílias residentes e das instituições sem fim lucrativo ao serviço das famílias) acelerou ligeiramente de 2,1% para 2,2%. O consumo público (despesas de consumo final das Administrações Públicas) registou uma taxa de variação de 0,1%, abaixo dos 0,6% de 2016.

Em sentido contrário, a procura externa líquida registou um contributo negativo de 0,2 p.p., “observando-se uma aceleração das exportações ligeiramente menos intensa que a das importações de bens e serviços”, refere.

Em termos nominais, o saldo externo de bens e serviços representou 1% do PIB em 2017, menos 0,1 pontos percentuais que em 2016.

“As exportações de bens e serviços em volume registaram, em 2017, uma taxa de crescimento de 7,9% (4,4% em 2016), refletindo a aceleração de ambas as componentes”, explicou o INE. “De igual forma, observou-se em 2017 um crescimento das Importações de Bens e Serviços de 7,9% (4,2% em 2016), com uma aceleração de ambas as componentes”.

[Em atualização]






Mais notícias
PUB
PUB
PUB