Implantação das tecnologias 5G na UE pode criar dois milhões de postos de trabalho

Automóveis que comunicam entre si para evitar acidentes, operações cirúrgicas à distância, acesso à realidade virtual a partir de qualquer lugar são apenas alguns dos novos serviços que exigem uma ligação à Internet muito rápida e com uma latência baixa que a nova geração de redes 5G promete tornar realidade.

Segundo a informação divulgada pelo Parlamento Europeu, a implantação destas tecnologias requer um grande investimento em equipamento e espetro e as empresas de telecomunicações esperam que os governos possam facilitar o processo através da alocação de novas faixas de espetro radioelétrico de forma coordenada para evitar a fragmentação do mercado interno e através da criação de um ambiente favorável ao investimento.

De facto, a 1 de junho, os eurodeputados deram o seu apoio ao plano de ação preparado pela Comissão Europeia para facilitar a implantação das tecnologias 5G na Europa e sublinharam ser essencial uma coordenação entre os Estados-Membros para evitar que os atrasos que ocorreram com a implantação das 4G se repitam e que se deveram essencialmente à disponibilidade de espetro muito limitada.

“Para atingirmos os objetivos da 5G é essencial mais investimento e a simplificação do quadro legal. Temos de harmonizar os processos de atribuição das faixas do espetro”, explica o representante da PPE, da Polónia, Michał Boni.

O Parlamento Europeu também instou a Comissão Europeia a “apresentar uma estratégia de financiamento do 5G ambiciosa e coerente”. A Comissão Europeia atribuiu 700 milhões de euros de financiamento público a uma parceria público-privada lançada em 2013, financiamento que deverá ser complementado com financiamento privado para atingir um valor total de 3,5 mil milhões de euros até 2025.

Segundo a Comissão Europeia, a implementação do Plano de Ação 5G poderia levar à criação de dois milhões de postos de trabalho. O plano prevê ainda o lançamento comercial de serviços 5G em 2020. A cobertura de áreas urbanas, de estradas e autoestradas e caminhos-de-ferro estão previstas para 2025.

Os eurodeputados também estão a examinar outras medidas políticas para facilitar a implementação da 5G. Em julho, vão votar propostas para tornar o investimento em novas redes de alta capacidade mais atrativo para as empresas e para melhorar a utilização das radiofrequências.



Mais notícias