Homens de confiança de Eduardo dos Santos escondem fortunas em Portugal

Uma investigação da "Sábado", que teve acesso a documentos confidenciais no âmbito da operação Fizz, avança que vários milhões de euros dos homens de confiança de José Eduardo dos Santos, circulou em Portugal.

Há fortunas angolanas escondidas em Portugal, segundo a “Sábado” desta quinta-feira. Uma investigação exclusiva da revista refere que através de bancos portugueses e negócios cruzados, envolvendo testas de ferro, os três homens de maior confiança do ex-presidente angolano José Eduardo do Santos fizeram circular, em Portugal, milhões de euros provenientes de Angola.

Segundo a revista “Sábado”, que divulga informação confidencial sobre o processo Fizz, o dinheiro e os negócios realizados em nome de Manuel Vicente, o general Kopelipa e o general Leopoldino Nascimento, apontam para crimes económico-financeiros que também envolvem figuras como Álvaro Sobrinho, antigo diretor do BES Angola, e Carlos Silva, que lidera o BPA.

Manuel Vicente, antigo líder da Sonangol e atualmente suspeito de corromper o procurador Orlando Figueira do DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação Penal), o general Manuel Dias “Kopelipa”, ex-chefe da CasaMilitar de José Eduardo dos Santos, e o general Leopoldino “Dino” Nascimento, ex-consultor de José Eduardo dos Santos, terão em conjunto, desde 2010, um património superior a 228 milhões de euros e, de acordo com a “Sábado”, parte desse dinheiro circulou por Portugal, através de negócios cruzados com familiares e testas de ferro.

Leopoldino Nascimento terá usado um bancário como testa de ferro, enquanto Manuel Vicente terá recorrido a um engenheiro e Kopelipa a um advogado. Em comum, os três homens de confiança de José Eduardo dos Santos, tinham o advogado Paulo Blanco que, segundo documentos do processo Fizz, analisados pela revista da Cofina, foi intermediário em todos os negócios. Em causa estão, pelo menos, 23 empresas com contas bancárias em oito bancos – Banco Privado Atlântico/Europa; Banco Big; Banque Edmond de Rothschild Europe; Millennium BCP; BPI; BES/BESA (Novo Banco), UBSBarclays Bank.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB