Holanda: Tribunal autoriza criança de 12 anos a recusar quimioterapia

De acordo com documentos recolhidos pelo tribunal, as probabilidade de sobrevivência da criança estão na ordem dos 75% a 80%, se fizer quimioterapia, reduzindo para 50% caso pare.

Um tribunal holandês autorizou uma criança de 12 anos, David, a recusar tratamentos de quimioterapia. O rapaz decidiu que queria experimentar terapias alternativas por causa dos efeitos secundários da quimioterapia, noticia a imprensa local.

David já foi operado a um tumor no cérebro, no ano passado, e completou seis semanas de tratamentos com radiação. A escolha da criança não agradou o pai, que decidiu levar o caso para tribunal para que este obrigasse o filho a realizar os tratamentos médicos. A mãe, pelo contrário, apoiou a decisão da criança.

Na passada sexta-feira, um juiz decidiu que David tem o direito de escolha nesta matéria, mesmo que a recusa de tratamento reduza as suas hipóteses de sobrevivência.

De acordo com documentos recolhidos pelo tribunal, as probabilidade de sobrevivência da criança estão na ordem dos 75% a 80%, se fizer quimioterapia, reduzindo para 50% caso pare.

Um psiquiatra disse ao tribunal que David tem uma forte vontade de viver mas também consegue encarar a morte.