Há seis armadores interessados na ligação por ferry entre a Madeira e o continente

Em apenas um dia, duplicou o número de entidades que adquiram o caderno de encargos, diz o secretário da Economia, Eduardo Jesus. Armadores têm 70 dias para apresentar propostas.

O número de armadores que manifestaram interesse em operar na linha marítima entre a Madeira e o continente duplicou em apenas um dia, adiantou, esta quinta-feira, o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura. Eduardo Jesus diz que, até ao final da tarde, eram seis as entidades que já tinham adquirido o caderno de encargos da operação, um indicador que considerou muito positivo.

Os armadores têm agora 70 dias para apresentarem as suas propostas e analisar o caderno de encargos que Eduardo Jesus diz ter sido feito à medida dos interesses da Madeira, mas sem criar condicionalismos à viabilidade da operação. O tutelar da pasta da Economia referia-se, em concreto, aos portos onde o navio vai atracar, deixando claro que foram estabelecidos dois portos – Funchal e Portimão -, sem que esteja, contudo, fechada a hipótese de Lisboa, caso seja opção do armador.

“Queremos mesmo que esta linha se concretize e por isso não quisemos condicionar os fatores que pudessem afetar o interesse da Madeira”, sublinhou o governante que presidiu, hoje, à abertura  da Festa do Vinho na placa central da Avenida da Arriaga.

Na ocasião, Eduardo Jesus revelou-se também satisfeito com a  taxa de ocupação hoteleira situada nos 89% , um indicador, considerou, do interesse dos visitantes por este cartaz.

 





Mais notícias