“Há lideres que gostam muito que se levantem todos a bater-lhe palmas. Não é o meu estilo”. Rio comenta reunião com deputados do PSD

Líder social-democrata disse que o que ouviu na reunião com os seus deputados foi “algum ceticismo relativamente à boa vontade” dos socialistas nos acordos com o PSD.

O presidente do PSD, Rui Rio, disse hoje não ver como é que “a reunião com a bancada pudesse correr melhor”, salientando as “muitas intervenções construtivas” durante as cerca de três horas e meia que durou o encontro.

“Eu disse [na quarta-feira], quando muito se houver é uma convulsãozita, para ser sincero não a notei, bem pelo contrário, notei uma reunião muito prolongada, com muitas intervenções, intervenções construtivas”, afirmou Rui Rio, em declarações aos jornalistas no final da sua primeira reunião com o grupo parlamentar do PSD.

Perante as várias perguntas sobre críticas que lhe terão sido dirigidas, o presidente do PSD considerou que aconteceu aquilo que esperava: “Uma realidade dentro da sala e outra difundida para fora, já estava à espera, a reunião correu de forma absolutamente normal”.

Questionado se não ouviu críticas sobre a sua estratégia de aproximação ao PS – feitas pelo ex-líder parlamentar Luís Montenegro -, Rui Rio disse que o que ouviu foi “algum ceticismo relativamente à boa vontade” dos socialistas nos acordos com o PSD.

“Em 89 deputados cada um diz o que sente, não é por um dizer uma coisa que isso possa fazer regra. Naquilo que é o traço comum da reunião, eu não vejo como é que a reunião pudesse correr melhor, há lideres que gostam muito que se levantem todos a bater-lhe palmas, não é propriamente o meu estilo”, afirmou.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB