“Caprichos” de Trump põem em alerta indústria automóvel alemã

Em entrevista à agência Bloomberg, o presidente do grupo lobista da indústria automóvel alemã VDA disse ver com grande preocupação a hipótese de uma guerra comercial.

Representantes da indústria automóvel alemã alertaram, esta segunda-feira, para os riscos de o presidente dos Estados Unidos aumentar as taxas alfandegárias dos carros importados da União Europeia. Subir os impostos à importação de veículos da BMW, Audi ou Volkswagen irá criar uma situação de perda mútua, segundo defenderam em declarações à agência Bloomberg.

No fim-de-semana, Donald Trump afirmou que há uma “grande desequilíbrio comercial” nas taxas alfandegárias para a importação de automóveis da zona euro.

“Penso que o governo norte-americano sabe que tivemos acordos como o da NAFTA que não devem ser destruídos por causa de um capricho”, afirmou o CEO da Volkswagen, Matthias Mueller, em entrevista à Bloomberg TV. “Todos nos esforçámos pela globalização nas últimas décadas e penso que não deveríamos abandonar essa ideia tão rapidamente”.

No ano passado, o aumento da produção de veículos de marcas alemãs em terreno norte-americano levou a uma diminuição do gap para 64 mil carros. O Governo alemão tem defendido a indústria do país, mas afirmou não querer entrar numa guerra comercial com os Estados Unidos.

“Numa tal guerra comercial, há apenas perdedores, de todos os lados”, afirmou Bernhard Mattes, presidente do grupo lobista da indústria automóvel alemã VDA. “Estamos a acompanhar os desenvolvimentos com grande preocupação”.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB