Greve na Petrogal causou problemas no Aeroporto de Lisboa, defende Sindicato

Sindicato da Indústria e Comércio Petrolífero (SICOP) afirmou hoje que o problema no abastecimento de aviões no Aeroporto de Lisboa na quarta-feira está associado à greve dos trabalhadores da Petrogal, que teve uma adesão de 80%.

Paulo Whitaker/Reuters

Em declarações à Lusa, o presidente do SICOP, Rui Pedro Ferreira, disse que a greve na Petrogal, que se iniciou no sábado e terminou esta manhã, teve uma participação na ordem dos 80%, realçando que a produção nas duas refinarias teve uma grande quebra.

“Para nós, o problema [no Aeroporto de Lisboa] não está dissociado do facto de estarmos em greve”, afirmou o dirigente sindical, defendendo que a paralisação nas refinarias terá sido responsável pelo cancelamento de voos no aeroporto de Lisboa, atribuído a um problema do sistema de abastecimento.

Já em comunicado, a federação do setor, a Fiequimetal, questionou “se será apenas coincidência o facto de ter acontecido hoje [na quarta-feira] uma estranha avaria no sistema de bombagem de combustível do Aeroporto Humberto Delgado”.

A paralisação iniciou-se no sábado e terminou esta manhã, envolvendo cerca de 900 trabalhadores da Petrogal.

Contactada pela Lusa, fonte oficial do GOP – Grupo Iperacional de Combustíveis, liderado pela Petrogal e que reúne as principais petrolíferas, responsável pelo abastecimento dos aviões, disse que “está já a decorrer o processo para determinar a origem do incidente ocorrido, aguardando-se as respetivas conclusões”.





Mais notícias