Governo de Roma e Comissão Europeia procuram solução para bancos italianos

O executivo de Roma e os líderes do Veneto Banca e o Banca Popolare di Vicenza esperam um acordo “no final da próxima semana”.

REUTERS/Alessandro Bianchi

A banca de Itália não está a passar despercebida aos olhos das instituições europeias. O ministério das Finanças italiano e a Comissão Europeia têm procurado os melhores métodos para fazer frente ao problema que assola o Veneto Banca e o Banca Popolare di Vicenza e que tem manchado o sistema financeiro do país.

De acordo com o ministro das Finanças, Pier Carlo Padoan, o tema está a ser tratado “ativamente”. O italiano explicou ontem que o assunto encontra-se entre as preocupações do governo mas não avançou detalhes sobre as medidas para as entidades bancárias da região de Vêneto, noticiou a Bloomberg, citando o diário local La Repubblica.

A agência internacional refere que o executivo de Roma e os líderes dos bancos em causa esperam um acordo “no final da próxima semana”. Pier Carlo Padoan tinha adiantado há dias que o final das negociações com Bruxelas estaria próximo e, mais tarde, o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, assegurou em conferência de imprensa que se encontrava em contacto com as autoridades italianas, mas (também) não adiantou pormenores.

O governo de Itália está à espera da luz verde da União Europeia para uma recapitalização apoiada pelo Estado de 6,4 mil milhões de euros, mas o plano requer que os bancos Veneto Banca e Banca Popolare di Vicenza arrecadem 1,2 mil milhões de euros de capital privado. Esta condição ainda não foi cumprida.

Segundo o La Stampa, que contactou porta-vozes da União Europeia e do Tesouro em Roma, o atual plano de resgate foi caracterizado como inviável. O jornal escreve ainda que uma das possibilidades em cima da mesa é a da divisão dos ativos dos chamados ‘bancos bons’ e do malparado no caso dos ‘bancos maus’, acrescentando que a Intesa Sanpaolo pode concordar em comprar os bancos bons e vender o crédito em risco.



Mais notícias