Governo inicia recolha de contributos para a estratégia de Portugal 2030

"Numa outra fase, a proposta de consenso para o Portugal 2030 estender-se- á à Assembleia da República", garante o ministério liderado por Pedro Marques.

Cristina Bernardo

O Governo lançou hoje a recolha de contributos sobre a estratégia de Portugal após 2020, através do ‘site’ Portugal 2030 (http://www.portugal2030.pt/).

Segundo o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, essa recolha de contributos integra-se na iniciativa de debate e procura de consensos lançada pela Governo, sob a coordenação de Pedro Marques, no âmbito da qual já se realizaram vários debates com parceiros sociais e especialistas de várias áreas.

“É intenção do Governo que nesta discussão se reflita sobre os grandes objetivos para o país, para os quais as políticas públicas se deverão orientar, o que necessariamente resultará também como linha orientadora para a preparação do próximo período de programação de fundos europeus, que deverá estar subordinado aos objetivos e opções que venham a ser definidos na estratégia para o país”, explica um comunicado do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

Até agora, vários membros do Governo já participam em reuniões com o Conselho Económico e Social, Comissão Permanente da Concertação Social e Conselho Nacional para a Economia Social e ainda associações e especialistas do Território (em Santarém), Conhecimento e Inovação (em Coimbra), Empresas (Porto) e Sustentabilidade Demográfica (Évora).

De acordo com o referido documento, “com a consulta agora iniciada, o Governo pretende alargar a participação a toda a sociedade”.

“Numa outra fase, a proposta de consenso para o Portugal 2030 estender-se- á à Assembleia da República”, garante o ministério liderado por Pedro Marques.

“Nas intervenções que tem vindo a realizar nas sessões públicas, o Primeiro-Ministro traçou como objetivo central do País a manutenção, na próxima década, da convergência com a Europa alcançada nos últimos três trimestres, através de dois eixos: o reforço da competitividade externa e o aumento da coesão interna de Portugal”, conclui o referido comunicado.



Mais notícias