Governo antecipa pagamento de sete mil milhões de euros ao FMI nos próximos dois anos

UTAO calcula que reembolsos antecipados atinjam 6,5 mil milhões em 2018 e 700 milhões no ano seguinte.

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) calcula que o Governo vá antecipar o pagamento de 7,2 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) em 2018 e 2019.

Na nota mensal sobre a dívida citada pela Lusa, Lusa teve acesso, o organismo indica que, tendo em conta a última apresentação aos investidores do IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, o Governo prevê antecipar o pagamento ao FMI de “6,5 mil milhões em 2018 e pelo menos 700 milhões de euros em 2019”, num total de 7,2 mil milhões de euros.

O FMI é um dos credores de Portugal ao abrigo do Programa de Assistência Económica e Financeira concretizado entre 2011 e 2014, tendo emprestado 26 mil milhões de euros.

O governo tem vindo a pagar antecipadamente as verbas do FMI porque implicam juros mais altos do que as atuais taxas do mercado. Desde que Portugal começou a devolver parte do crédito do FMI, em 2015, foram já reembolsados mais de 14,5 mil milhões de euros.



Mais notícias