General angolano investigado por branqueamento de 402 milhões de euros em Portugal

De acordo com documentos a que o CM teve acesso, estarão em causa cerca de 160 operações financeiras, em euros e dólares, para contas e 'offshores' de vários bancos diferentes.

O general angolano Manuel Hélder Vieira Dias (também conhecido por Kopelipa) estará a ser investigado pelo Ministério Público por suspeitas de branqueamento de 402 milhões de euros, em Portugal, segundo noticia este sábado o Correio da Manhã. O valor terá dado entrada em contas pessoais do oficial e de offshores, entre setembro de 2006 e fevereiro de 2013.

De acordo com documentos a que o CM teve acesso, estarão em causa cerca de 160 operações financeiras em euros e dólares. Do total, 304,4 milhões de euros terão entrado nas contas de sociedades offshores no BES e no BCP e 97,7 milhões de euros em contas pessoais no BCP, no Banco Privado Atlântico – Europa, no BES e no BIG.

O caso terá sido investigado em 2014, mas foi arquivado. No entanto, o Ministério Público acabou por reabrir a investigação por considerar não ser possível identificar a origem inicial do dinheiro.

“A maioria dos referidos 400 milhões de euros, movimentados entre 2006 e 2013, se destinaram, como decorre da documentação apresentada e dos atos comerciais subjacentes, a pagar mercadorias, equipamentos e serviços a fornecedores no exterior de Angola, designadamente em Portugal”, justificou o advogado do general Kopelipa, Paulo Blanco, citado pelo CM.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB