Futebol: Claques apanhadas pela PJ a comprar explosivos

Entre os envolvidos há um socorrista da Cruz vermelha e um vigilante do Dragão.

REUTERS/Robert Pratta

A Polícia Judiciária deteve esta quinta-feira nove indivíduos pelo fabrico e venda ilegal de artigos pirotécnicos, incluindo um segurança do estádio do F.C.Porto e um socorrista da Cruz Vermelha, segundo noticia o Jornal de Notícias. As autoridades suspeitam que os artigos eram vendidos a membros das claques dos maiores clubes desportivos nacionais.

Petardos e tochas de fumo seriam vendidos por elementos das claques do F. C. Porto, Benfica e Sporting, entre outros clubes, e da seleção nacional. Os membros das claques já envolvidos na operação policial pertencem ao Sporting de Braga, a única que foi para já alvo de buscas, de acordo com o JN. A PJ terá encontrado artigos de pirotecnia com adereços de cores azul, encarnado e verde na posse dos fabricantes.

O segurança do Estádio do Dragão é um dos suspeitos de fornecer material a membros dos Super Dragões, sendo que o JN escreve que este foi apanhado em flagrante com material explosivo em sua casa, em Paços de Ferreira. No entanto, não foram ainda realizadas buscas ou detenções no âmbito da operação a elementos ligados à claque do F. C. Porto. Fernando Madureira, conhecido como “Macaco”, disse ao matutino nada ter a ver com o caso.

PUB
PUB
PUB