FundBox compra Banif Capital à Oitante

Processo de venda da sociedade de capital de risco do antigo Banif foi iniciado ainda em 2016 e concluído a 29 de dezembro passado.

O gestor e empresário Rui Alpalhão comprou a Banif Capital, sociedade de capital de risco que fazia parte do grupo Banif, apurou o Jornal Económico junto de diversas fontes conhecedoras da operação.

O processo de venda do Banif Capital foi lançado em dezembro de 2016, ao qual responderam oito interessados.

Fonte ligada ao processo disse ao Jornal Económico que, “após análise das propostas e validações das autoridades competentes, foi assinado um SPA [contra promessa de compra e venda] com uma entidade do sector do mercado de capital de risco a 9 junho 2017”.

A conclusão da venda registou-se a 29 de dezembro de 2017.

O Jornal Económico apurou que o comprador foi a FundBox, holding familiar de Rui Alpalhão, que, por sua vez, controla 63,6% do capital e dos direitos de voto da sociedade gestora de fundos de investimento mobiliários FundBox SGFIM, assim como 45,2% do capital e 49,4% dos direitos de voto da sociedade gestora de fundos de investimento Imobiliário FundBox SGFII.

Alpalhão é presidente e administrador delegado da FundBox SGFIM.

A Banif Capital encontrava-se na dependência do Banif Banco de Investimento (Banif BI), mas o processo de venda terá sido tratado pela Oitante, sociedade criada para gerir os ativos do grupo Banif, na sequência do processo de resolução do banco.

Contactada pelo Jornal Económico, a Oitante recusou prestar declarações.

Banif BI ainda está à espera do BCE

O processo de venda do Banif BI também decorre, tendo sido assinado um acordo de venda à sociedade chinesa Bison Capital, em agosto de 2016. Como noticiou o Jornal Económico, o processo continua em análise pelo mecanismo único de supervisão do Banco Central Europeu (BCE), devendo ser tomada uma decisão nos primeiros meses de 2018, até ao final de fevereiro.

Com estes processos concluídos, a sociedade gerida por Miguel Barbosa ficará ainda em carteira com uma participação no espanhol Banca Pueyo, que deverá ser alienada até ao final deste ano, e a Banif Gestão de Ativos, sociedade que não se encontra em processo de venda. Além destes ativos, a Oitante continua a gerir uma vasta carteira de imobiliário.

Dos ativos do antigo Banif transferidos para a Oitante foram vendidos a seguradora Açoreana, uma posição de 78% no Banif Malta, o Banif Pensões (alienado à gestora de ativos Patris), a sociedade de titularização de créditos Gamma (vendida ao Santander Totta) e a plataforma de ‘servicing’ (comprada pela Altamira, mas que ainda espera autorizações regulamentares).

A Oitante vendeu ainda a participação de 2% da SIBS e uma participação na Rioforte (sociedade do ramo não financeiro do ex-GES), que está insolvente. Informação que não é, no entanto, oficial.

Artigo publicado na edição digital do Jornal Económico. Assine aqui para ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB