Filhos com mais de 25 anos vão ter acesso à ADSE com custo adicional mensal

Ainda em negociações, proposta do novo regulamento prevê entrar em vigor até ao início do verão. Cônjuges e filhos de funcionários públicos passarão a ser beneficiários deste subsistema de saúde.

Cônjuges e filhos, até aos 30 anos, dos funcionários públicos vão passar a poder beneficiar da ADSE a partir do mês de maio. Mas, embora a proposta do novo regulamento não esteja concluída, a manutenção dos descendentes irá ter um custo fixo adicional a rondar os 20 euros, avança o Jornal de Notícias.

Mas há mais. Vai passar a ser também permitido que cônjuges trabalhadores com contrato individual e a prestar funções em empresas públicas, nomeadamente os hospitais EPE, também possam aderir a este subsistema de saúde.

Outra questão é a idade limite dos cônjuges. Segundo a FESAP, é espectável que esse limite “venha a situar-se bastante abaixo dos 60 anos”, visto que a possibilidade de indivíduos com uma certa idade, onde “as necessidades de cuidados e assistência médica são significativamente maiores”, não traz quaisquer benefícios para uma melhor “sustentabilidade do sistema”.

Atualmente, os beneficiários deste subsistema de saúde descontam 3,5%, por mês, do seu salário ou pensão, mas conforme José Abraão alegou ao Dinheiro Vivo, a percentagem oscilará entre os 2 e os 2,5. Para os descendentes dos funcionários públicos, além do montante adicional mensal – ainda a ser definido -, terá de descontar 3,5%.

 

Mais notícias