Fosun: CEO e vice-presidente demitem-se

O acionista maioritário do Millenium BCP e detentor da seguradora Fidelidade e do grupo Luz Saúde perdeu dois altos executivos.

Aly Song / Reuters

Os líderes do grupo chinês Fosun, detentor de participações em várias empresas portuguesas como o Millenium BCP, demitiram-se. Liang Xinjun, presidente executivo (CEO) do Fosun, deixa o cargo por “motivos de saúde”, de acordo com uma nota enviada à bolsa de Hong Kong, citada pela agência “Lusa”.

Liang, de 48 anos, é formado em engenharia genética, foi um dos quatro fundadores do Fosun, em 1992, e é considerado um dos mais bem-sucedidos investidores chineses. A decisão foi tomada numa em que a empresa apresentou lucros recorde. Liang será substituído no cargo de CEO por outro dos fundadores do grupo, Wang Qubin.

O vice-presidente executivo, Ding Guoqi, também abandona a Fosun para “passar mais tempo com a família”, segundo refere um outro comunicado. O presidente do grupo chinês, Guo Guangchang, admitiu que as demissões vão ter efeitos na empresa. “A partida de Ding Guoqi e Xinjun, em particular a de Xinjun, devido a motivos de saúde, vai ter impacto no Fosun a curto prazo”, afirmou Guo, de acordo com a agência “Lusa”.

As demissões acontecem na mesma semana em que a Fosun anunciou um aumento homólogo de 28%, nos lucros líquidos, em 2016, para 10,3 mil milhões de yuan (mais de 1,3 mil milhões de euros). Em Portugal, a empresa é acionista maioritária do Millenium BCP, o maior banco privado português, com uma participação social de 16,7%.

A Fosun comprou também a seguradora Fidelidade, por mil milhões de euros, bem como o grupo de prestação de cuidados de saúde Luz Saúde, por 478 milhões de euros. Nos últimos anos, o Fosun investiu mais de 15 mil milhões de dólares (13,9 mil milhões de euros) além-fronteiras, tornando-se um dos principais atores do investimento externo chinês.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB