Formação à medida de cada empresa. Católica-Lisbon celebra parceria de sucesso.

Há mais de um quarto de século que a Católica Lisbon School of Business and Economics, desenvolve programas de formação à medida de qualquer empresa. Recentemente, uma das maiores companhias nacionais deu a alguns dos seus colaboradores a oportunidade de aprender e crescer. A aposta foi um sucesso. #JE editors

A Central de Cervejas já testemunhou muitas mudanças nos seus 84 anos de vida. No sector, nos modos de gestão e na economia nacional. Esta longevidade explica-se com uma adaptação constante às exigências de mercado, muitas vezes implicando alterações na estrutura da organização.

Recentemente, e tendo como objetivo dar novas vantagens competitivas à empresa, procurou junto da Católica um programa de gestão para 24 dos seus colaboradores.

Os programas intraempresa da Católica-Lisbon foram concebidos para proporcionar uma experiência única de formação a colaboradores de empresas, desenvolvendo competências e alterando comportamentos.

São feitos em total colaboração com a organização cliente a fim de preencher necessidades específicas.

Clara Estanqueiro, People Development Manager, da SCC afirma: “As mudanças são muito rápidas e nós andamos todos muitos fechados em nós próprios. A nossa ambição precisa que as nossas pessoas estejam em contacto com coisas novas, e daí nos termos sentado com a Católica para esta cocriação.”

Esta aquisição de novas competências é, para a empresa, a resposta às necessidades de fortalecer a relação com o cliente, com o serviço e a tomada de decisões no contexto interno.

Para garantir o sucesso do programa adaptado, houve três factores determinantes: o envolvimento da Comissão Executiva, a criação de “subject matter experts” para acrescentar matéria ao programa base e a total abertura por parte dos professores da Católica.

Os participantes foram selecionados pela importância dos cargos ocupados.

“Ocupam determinados lugares dentro da empresa, muitos reportando à Comissão Executiva. Foram nomeados pelos seus diretores gerais. Nomeação barra convite, porque há, obviamente, um investimento pessoal dos que participam neste programa. São colegas com grandes talentos e com muito potencial dentro da empresa.”

A metodologia de abordagem, em concordância com ambas as partes, foi o Design Thinking, de modo a estimular o envolvimento dos formandos.

O currículo incluiu exposição, casos práticos de sucesso e fracasso e trabalhos em grupo. As metas eram claras: enriquecimento pessoal e aplicabilidade ao nível laboral.

Durante oito meses o impacto do programa foi-se notando e, muitas vezes, a aprendizagem da Católica era tema de conversa entre colegas.

“É muito gratificante saber que há efeitos colaterais. O primeiro é saber que há pessoas que trabalham em departamentos muito diferentes, mas que se aproximaram e começaram a colaborar. O segundo é contagiar o resto da organização com estas novas formas de pensar. Estão muito mais corajosos.”, acrescenta Clara Estanqueiro. Não tem dúvidas que estas ferramentas poderão fomentar novas oportunidades dentro da Central ou do grupo internacional a que pertence.

Em maio, num animado jantar de encerramento, foram entregues os diplomas. Adivinha-se com que brindaram os participantes.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB