Ford é líder na estratégia autónoma

Um relatório da Navigant Research coloca a Ford na posição de líder entre os construtores automóveis, no que respeita à estratégia de implementação de soluções de condução autónoma.

A condução autónoma está cada vez mais a ser considerada como uma tecnologia chave na resposta aos problemas causados pela proliferação de automóveis em todo o mundo, não apenas no que respeita ao congestionamento do tráfego, mas também aos ferimentos e mortes causados por acidentes e pela diminuição da qualidade do ar.

A Navigant Research debruçou-se, no seu mais recente relatório sobre liderança, sobre esta tecnologia, que tem o seu início na década de 1950, mas que apenas na última década conheceu avanços significativos, potenciada por descobertas em áreas como a arquitetura computacional e tecnologia de sensores, mas também por uma dramática redução nos custos.

Depois de analisar 18 companhias que desenvolvem sistemas automatizados de condução – pontuando-as em dez critérios que incluem visão, estratégia de marketing para lançamento no mercado, parceiros, estratégia e capacidade de permanência – o estudo coloca a Ford no topo da lista de todas as empresas automóveis e tecnológicas que desenvolvem tecnologia de veículos autónomos.

A GM surge no segundo lugar da lista, com a aliança Renault-Nissan a fechar o pódio. Daimler, Grupo Volkswagen e BMW ocupam, respetivamente, os lugares seguintes, com a Waymo – o projeto de condução autónoma da Google – a surgir no sétimo posto da tabela da Navigant Research e a ser a primeira entre as companhias não diretamente relacionadas com o automóvel. O consórcio formado por Volvo, Autoliv e Zenuity ocupa o sétimo posto ex-aequo com a Waymo, ao mesmo tempo que a Delphi surge na nona posição e a Hyundai fecha a lista das dez empresas melhor posicionadas para oferecer soluções de condução autónoma.





Mais notícias