Foram vendidos mais 7,7% automóveis em 2017

Segundo a associação ACAP, no total do ano de 2017 foram matriculados pelos representantes oficiais de marca em Portugal 266.386 veículos automóveis novos, o que representou um crescimento homólogo de 7,7% em relação ao ano anterior.

Apesar de em dezembro ter havido um abrandamento face ao mês anterior, com as vendas a caírem 0,1%, a verdade é que o mercado automóvel encerra 2017 com um aumento de 7,7% de vendas.

Segundo a associação ACAP, no total do ano de 2017 foram matriculados pelos representantes oficiais de marca em Portugal 266.386 veículos automóveis novos, o que representou um crescimento homólogo de 7,7% em relação ao ano anterior.

No mês de Dezembro de 2017 foram matriculados 22.206 veículos automóveis, o que corresponde a uma queda homóloga de 0,1%, a primeira registada nos últimos nove meses.

Numa análise por categorias e tipos de veículos verificou-se a seguinte evolução das vendas: No mês de Dezembro de 2017, foram matriculados em Portugal 17.058 automóveis ligeiros de passageiros, ou seja, mais 0,4% do que no mês homólogo do ano anterior. No total do ano de 2017 as matrículas de veículos ligeiros de passageiros totalizaram 222.134 unidades, o que se traduziu numa variação positiva de 7,1% relativamente a 2016.

E nos comerciais ligeiros, no mês de Dezembro, foram colocados em circulação em Portugal 4.564 novos veículos, o que representou um ligeiro decréscimo de 0,1%.

No período de janeiro a dezembro de 2017 o mercado ascendeu a 38.520 veículos, o que representou um aumento de 10,4% face ao período homólogo do ano anterior, nesta classe.

Quanto ao mercado de veículos pesados, o qual engloba os tipos de passageiros e de mercadorias, em dezembro de 2017 verificou-se uma queda de 11,8% em relação ao mês homólogo do ano anterior, tendo sido comercializados 584 veículos desta categoria, revela a Associação Automóvel de Portugal.

No total do ano de 2017 as matrículas desta categoria de veículos ascenderam a 5.732 unidades, o que representou um acréscimo do mercado de 10,7% relativamente ao período homólogo de 2016.

 




Mais notícias