‘Fintech’ Ebury registada pelo BdP como instituição de moeda eletrónica

A licença permite à 'fintech' britânica, cuja sucursal opera em Portugal desde 2015, lançar novos produtos e serviços financeiros no país.

O Banco de Portugal aprovou o registo da fintech especializada em pagamentos internacionais e câmbio de divisas, Ebury, como instituição de moeda eletrónica. A licença permite à Ebury, empresa britânica cuja sucursal opera em Portugal desde 2015, lançar novos produtos e serviços financeiros no país.

As atividades são reguladas pela Financial Conduct Authority, o supervisor das instituições financeiros do Reino Unido. “Este registo no BdP para que a Ebury opere enquanto EMI [na sigla em inglês] mantém os mais altos padrões de supervisão, garantindo ainda que a empresa sempre assim operou, desde o início das suas operações”, explicou a fintech em comunicado.

A Ebury poderá agora manter todos os fundos dos clientes no balanço e em diferentes divisas. Além disso, os clientes poderão abrir contas com um IBAN próprio dentro da entidade financeira e a operação de pagamentos será simplificada, abrindo a possibilidade de que os próprios clientes realizem transações entre contas da Ebury de forma fácil.

Criada em 2009, a Ebury conta atualmente com cerca de 25 mil clientes corporativos em 13 países diferentes, tem 650 colaboradores e opera transações em mais de 140 divisas. No Reino Unido, foi o primeiro provisor não bancário de serviços de pagamento a adotar a infraestrutura tecnológica que permite realizar transações em tempo real, Faster Payments Scheme.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB