‘Fintech’ desistiram de substituir a banca e procuram parcerias

O World Fintech Report 2018, realizado pela Capgemini e pelo LinkedIn, mostra que a indústria financeira está a ser transformada pela concorrência e exigências dos clientes por maior conveniência e personalização dos serviços.

As fintech podem até já ter tido pretensões de substituir as instituições financeiras tradicionais, mas a tendência é agora de cooperação, segundo revela o World Fintech Report 2018. O relatório realizado pela Capgemini e pelo LinkedIn, com o apoio da Efma, mostra que muitas destas startups perceberam que terão poucas hipóteses de serem bem-sucedidas por si mesmas e procuram parcerias com a banca.

“Mais de 75% das fintechs afirmou que o seu principal objetivo de negócio é estabelecer uma relação de colaboração com as instituições financeiras tradicionais. Para tal é preciso que tanto as fintechs, como as instituições financeiras tradicionais, transformem os modelos de negócio para estimularem a inovação e conservarem a confiança dos clientes”, explicou Anirban Bose, head da Financial Services Global Strategic Business Unit da Capgemini, em comunicado.

O estudo refere que apesar de as fintechs terem gerado mais de 110 mil milhões de dólares desde 2009, a maioria corre o risco de desaparecer se não conseguir gerar um ecossistema de parcerias eficaz.

Por outro lado, as instituições financeiras tradicionais têm aproveitado estas tecnológicas para reforçar e modernizar serviços já existentes, como é o caso de políticas de gestão de risco, infraestruturas, especialização em matéria de regulamentação ou acesso a capital.

Apesar da tendência de cooperação, mais de 70% dos gestores das fintechs ainda vê obstáculos na colaboração com as instituições financeiras tradicionais devido à falta de agilidade das segundas. A banca aponta como principais desafios os impactos negativos na perceção da confiança dos clientes, na marca e a mudança que será necessário realizar nas suas culturas internas.

Do lado dos clientes, o World Fintech Report 2018 mostra que as fintechs estimulam a experiência dos clientes no setor dos serviços financeiros, através das inovações tecnológicas. Apesar de os clientes continuarem a confiar mais em marcas tradicionais, o aumento da concorrência e das expetativas dos clientes levam a exigência cada vez mais elevada no que diz respeito a serviços mais convenientes e personalizados.

“O sucesso das Fintechs está relacionado com a sua abordagem centrada no cliente e que vem compensar as lacunas das empresas tradicionais. Estas lacunas abriram as portas às Fintechs, no entanto os clientes continuam a confiar mais nas empresas tradicionais”, acrescentou Penry Price, vice presidente de Global Marketing Solutions, do LinkedIn.






Mais notícias