Fim do roaming pode tornar-se caro para os portugueses

O fim do roaming já tem data marcada: 15 junho. Esta alteração pode levar a uma situação em que os países e as cidades que recebem mais turistas vão ter de suportar mais custos.

REUTERS / Dado Ruvic

O fim das taxas de roaming podem levar a um aumento dos preços das operadores móveis, principalmente nos países em que há uma grande entrada de turistas, como revela o estudo da consultora Altran, citada pelo Diário de Notícias.

As cidades que tenham uma taxa elevada de estrangeiros vão ter de suportar serviços de rede melhorados. Serviços esses que vão ser cobrados aos utilizadores do país que acolhe os turistas, como é o caso de Portugal.

Para além de Portugal receber muitos turistas, também os rendimentos dos portugueses é mais baixo do que nos restantes países da União Europeia.

“Um aumento dos preços domésticos poderá ser uma consequência da adaptação da Roam like at Home (utilizador usa o pacote de telecomunicações que definiu no seu mercado de origem sem pagar roaming) dada a necessidade de investimento na capacidade de rede, especialmente em países que importam roaming [recebem muitos turistas] com grande sazonalidade”, alerta a Altran, citada pelo Diário de Notícias.

“Pessoas com um rendimento médio ou elevado têm mais probabilidade de viajar porque têm os recursos para isso. Quando a Roam like at Home estiver implementada, estes viajantes irão beneficiar de melhores tarifas do que agora. Irão poupar dinheiro à custa de pessoas com baixos rendimentos no seu país, que poderão ver as tarifas de dados aumentar significativamente”, refere o estudo “Zero roaming – a pitfall of european regulation”. “Pessoas com menores rendimentos irão subsidiar o acesso aos serviços digitais de pessoas com elevados rendimentos”, cita o DN.