Filme que acompanhou o processo de destituição de Dilma Rousseff estreia no IndieLisboa

O festival decorre entre 26 de abril e 6 de maio e vai contar com a presença da realizadora Maria Augusta Ramos, que vai falar sobre as relações entre o cinema, a política e a liberdade.

O filme que acompanhou o processo de impeachment (destituição) da ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff é uma das estreias previstas para festival IndieLisboa. O festival decorre entre 26 de abril e 6 de maio e vai contar com a presença da realizadora Maria Augusta Ramos, que vai falar sobre as relações entre o cinema, a política e a liberdade.

O filme, com o nome “O Processo”, acompanha o governo da antiga chefe de Estado brasileira e a estratégia construída pela equipa de defesa de Dilma Rousseff, acusada de manipular as contas públicas. “Sem narração ou entrevistas, o filme assume-se como um documento histórico que percorre as conversas de bastidores, os encontros políticos e a polarização da opinião pública em torno da destituição da primeira mulher presidente do Brasil”, lê-se na nota de apresentação.

Maria Augusta Ramos junta-se a João Salaviza, Marco Martins e Rüdiger Suchsland para falar sobre as diferentes formas de representação da política no cinema e como este pode levantar questões e abordar injustiças sociais e turbulências políticas. O debate tem como tema “Por um cinema que dá mais força à liberdade” e está agendado para 3 de maio, às 17h00, na Biblioteca Palácio Galveias.

O festival lisboeta conta ainda com outros títulos que tocam os arquivos históricos da política mundial, como “Tara Moarta” (de Radu Jude), Four Parts of a Folding Screen (de Anthea Kennedy e Ian Wiblin) e Hitler’s Hollywood (deRüdiger Suchsland). O IndieLisboa vai contar ainda com outros filmes como “La Liberté” (de Guillaume Massart), “Area 51” (Annabelle Amoros), “Evidence of the Evidence (de Alexander Johnston) e “Il Risoluto” (de Giovanni Donfrancesco).






Mais notícias
PUB
PUB
PUB