Ex-diretor do FBI nomeado conselheiro especial para investigação sobre a Rússia

Robert Mueller está encarregue de fazer a supervisão sobre a alegada intervenção da Rússia nas eleições presidenciais americanas de 2016.

REUTERS/Jonathan Ernst

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos nomeou esta quinta-feira o ex-diretor do FBI Robert Mueller como conselheiro especial para monitorizar a investigação em relação à alegada intervenção da Rússia nas eleições presidenciais americanas de 2016, bem como a possível conivência por parte de associados da campanha de Donald Trump ou existência de crimes federais.

A nomeação de Robert Mueller, ex-procurador federal que supervisionou o FBI durante os ataques do 11 de setembro, chega poucos dias depois de Donald Trump ter dispensado o responsável diretor a unidade James Comey e da notícia de que o presidente lhe pediu para arquivar a investigação sobre o anterior conselho de Segurança Nacional Michael Fynn.

A Bloomberg refere que um funcionário da Casa Branca afirmou que o republicano divulgou a novidade apenas 25 minutos antes de se ter tornado pública, após a assinatura do procurador-geral adjunto Rod Rosenstein. O mesmo porta-voz adianta que o encontro para apresentação deste nome foi “calmo”.

Donald Trump e o seu chefe de gabinete, Reince Priebus, explicaram aos altos funcionários que se reuniram no Sala Oval que a decisão significava que agora cabia a Robert Mueller falar sobre a investigação, enquanto a Casa Branca se centrava na agenda do presidente Trump. O funcionário disse que o momento que a calma e estranhamente refrescante depois de semanas de caos em torno das sondas.





Mais notícias