Ex-diretor do FBI acusa Trump de ser “moralmente inadequado” para presidente dos EUA

Na sua primeira entrevista desde que foi demitido, James Comey diz não se pode descartar que a Rússia tenha obtido documentos comprometedores e esteja a fazer chantagem com Donald Trump.

Jonathan Ernst/Reuters

O ex-diretor do FBI James Comey defende que Donald Trump é “moralmente inadequado” para ser presidente do Estados Unidos, dada a falta de valores básicos. Na primeira entrevista desde que foi demitido, James Comey diz não se pode descartar que a Rússia tenha obtido documentos comprometedores e esteja a chantagear Trump.

“Não acho que ele [Donald Trump] esteja medicamente inadequado para ser presidente. Acho que ele é moralmente inadequado para ser presidente”, esclareceu James Comey. “O presidente deve incorporar respeito e aderir aos valores que devem nortear este país. O mais importante de tudo é a verdade e este presidente não é capaz disso”.

Comey dá como exemplo da falta de valores de Donald Trump a forma como trata as mulheres: “Uma pessoa que trata as mulheres como se fossem pedaços de carne, que mente constantemente sobre assuntos grandes e pequenos e insiste que o povo americano acredita nisso. Essa pessoa não está apta para ser presidente dos Estados Unidos, por motivos morais”, reitera.

O antigo líder da polícia de investigação norte-americana acusa ainda o republicano de sucessivas manobras de obstrução à Justiça na investigação sobre a interferência da Rússia na eleição de 2016. James Comey relembra o episódio em que o ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn mentiu ao FBI sobre as conversas que manteve com o então embaixador da Rússia nos Estados Unidos, Sergey Kislyak. Flynn saiu do Governo em fevereiro do ano passado, afirmando que Donald Trump estava a par do sucedido e terá pressionado James Comey a suspender a investigação.

“Certamente é alguma evidência de obstrução da Justiça. E eu sou apenas uma testemunha neste caso, não o investigador ou o promotor –, isso dependeria de outras coisas que refletissem sobre a sua real intenção”, afirmou durante a entrevista.

James Comey foi demitido em maio do ano passado por Donald Trump, alegando que este não teria tratado de forma devida a investigação a Hillary Clinton sobre o uso do email para assuntos de Governo quando esta era secretária de Estado na Administração Obama. O advogado prepara-se agora para lançar o livro “A Higher Loyalty”, com acusações contra Donald Trump.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB