EUA proíbem venda de equipamentos à empresa chinesa ZTE

Proibição é válida por sete anos e surge como resposta ao incumprimento dos termos de um caso de violação das sanções norte-americanas pela ZTE na venda ilegal de produtos de tecnologia para o Irão.

Estados Unidos da América

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos proibiu as empresas norte-americanas de venderem componentes para a fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicação ZTE. A proibição é válida por sete anos e surge como resposta ao incumprimento dos termos de um caso de violação das sanções norte-americanas pela ZTE na venda ilegal de produtos de tecnologia para o Irão.

A empresa chinesa declarou-se culpada no ano passado por conspirar para violar as sanções norte-americanas diante de um tribunal federal do Texas. A ZTE foi obrigada a pagar 890 milhões de dólares (720 milhões de euros) em multas, ficando sujeita ainda a uma multa adicional de 300 milhões de dólares (quase 245 milhões de euros).

Como parte do acordo, a ZTE prometeu demitir quatro funcionários seniores e sancionar outros 35, reduzindo-lhes o bónus salarial. No entanto, a empresa chinesa admitiu em março que, embora tenha demitido os quatro funcionários seniores, não tinha reduzido o bónus dos outros 35.

Na sequência desse incumprimento, as empresas norte-americanas ficam impedidas de comercializar mercadorias com a ZTE nos próximos sete anos.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB