“Estou a lutar pela honra de ser quem era”, diz Ricardo Salgado

Atualmente a escrever as suas memórias, Ricardo Salgado diz à Bloomberg estar a “lutar pela honra de ser quem era” e querer “que a verdade seja reposta” no caso BES.

Rafael Marchante/Reuters

Ricardo Salgado concedeu à Bloomberg uma entrevista via e-mail. O antigo líder do Banco Espírito Santo afirma não ser culpado pela medida de resolução que selou o destino do Banco Espírito Santo no verão de 2014. Nas declarações enviadas, afirma também estar a “lutar pela honra de ser quem era e pela honra da minha família”.

Para Ricardo Salgado, cuja família detinha cerca de 20% do banco até à resolução, “pedir desculpa teria sido a fórmula mais fácil de me libertar publicamente da responsabilidade. Acho que tenho a responsabilidade de lutar para que a verdade seja reposta”, acrescentou.

No entanto, a visão de Salgado não é a mesma de Ricardo Ângelo, líder da Associação “Os Indignados e Enganados do Papel Comercial” (AIEPC). Para Ângelo, “todos eles deviam pedir desculpa; os clientes foram enganados”, declara à Bloomberg. E acrescenta: “A principal responsabilidade é de Ricardo Salgado e, em segundo, a resolução foi mal gerida e sofremos com isso. Nunca deveria ter acontecido”.

Além de preparar a sua defesa, Ricardo Salgado declara nesta entrevista à Bloomberg que está também a escrever as suas memórias e afirma ainda que a “inveja” poderá ser, pelo menos em parte, responsável pela queda do grupo, referindo-se à ideia de que o próprio era “o dono disto tudo”: “Hoje não tenho dúvidas de que a história que diz que eu dominei tudo foi criada com o objetivo de me atacarem”, afirmou à agência.

Recorde-se que a resolução do BES aconteceu a 3 de agosto que 2014, por determinação do Banco de Portugal, transferindo-se grande parte da sua operação para o recém-criado Novo Banco. O Novo Banco foi depois capitalizado pelo fundo de resolução e sem os ativos tóxicos. Praticamente três anos depois, a venda do Novo Banco à Lone Star está definida, devendo o negócio estar terminado durante o último trimestre do ano.

PUB
PUB
PUB