Estivadores ameaçam voltar a parar porto de Lisboa

Sindicato dos Estivadores decretou nova greve para o porto da capital para os próximos dias 10 e 11 de julho.

Yiorgos Karahalis/Reuters

O Sindicato dos Estivadores ameaça voltar a paralisar o porto da capital, com uma greve decretada para os próximos dias 10 e 11 de julho.

A paz social conseguida para o porto de Lisboa por Ana Paula Vitorino, ministra do Mar, não durou um ano e meio.

Esta decisão do Sindicato dos Estivadores já foi alvo de uma duríssima contestação dos operadores portuários da capital, em particular através de um comunicado da Agepor – Associação dos Agentes de Navegação de Portugal.

“A Agepor volta a constatar que a Direção dos Sindicato dos Estivadores de Lisboa vive das greves, para as greves e com as greves. Não vive para o trabalho, não vive para os trabalhadores, não vive para os portos”, ataca a associação presidida por António Belmar da Costa, em comunicado.

Este documento da Agepor questiona mesmo se “estas greves não violam o acordo de paz social em Lisboa, que tão publicitado foi aquando da sua assintatura”.

“O sindicato alega como razão para mais uma greve, decretada para os dias 10 e 11 de julho, práticas anti-sindicais nos portos. O que nós assistimos é uma prática anti-portos no Sindicato dos Estivadores de Lisboa. Desde 2012 que o sindicato conseguiu asfixiar Lisboa. Agora está tentado em asfixiar outros portos”, acusa o comunicado da Agepor.

Segundo a instituição presidida por António Belmar da Costa, “o resultados da prática deste sindicato é bem visível em Lisboa”, acrescentando que tal resulta no “declínio” e na “política do passado para o declínio do futuro”.

“A Agepor não pode deixar de condenar estas constantes e recorrentes tentativas de prejudicar a imagem dos portos portugueses e a economia nacional”, conclui o referido comunicado

 



Mais notícias