Estado vai gastar 5,5 milhões em carros elétricos

A compra de 170 carros elétricos visa a substituição de outros com mais de dez anos e ainda uma poupança a rondar os 1,3 milhões de euros no combustível.

A Administração Pública vai passar à aquisição de 170 carros elétricos, em regime de aluguer operacional, com uma despesa (aprovada) prevista nos 5,5 milhões de euros, ao longo dos próximos cinco anos.

Publicada hoje em “Diário da República”, uma portaria permitiu ao Fundo Ambiental programar a despesa para a primeira fase de implementação da mobilidade elétrica na Administração Pública, que prevê um gasto anual no valor de 1,3 milhões de euros, para o Estado, no prazo de três anos, a começar já em 2017. Para 2021, calcula-se uma despesa na ordem dos 224 mil euros.

A aquisição destes veículos visa a substituição de outros com mais de dez anos e, ainda, conforme o Governo, uma poupança de cerca de 1,3 milhões de euros em combustível.

Estes 170 veículos elétricos passam, de seguida, para uma fase-piloto. No entanto, esta fase-piloto já havia sido iniciada pelo antigo Governo, onde o Fundo Português de Carbono (antecessor do Fundo Ambiental) financiou 30 carros Peugeot iOn, entregues a vários organismos dos ministérios das Finanças e do Ambiente.

A finalidade do Estado passa pela obtenção de uma frota de 1200 veículos elétricos, no valor total de 23 milhões de euros, a pagar pelo Fundo Ambiental.

Mais notícias